jusbrasil.com.br
13 de Dezembro de 2017

A importância da investigação e perícia criminais forenses na elucidação de crimes

As primeiras investigações realizadas em casos forenses foram baseadas em observação e interpretação de evidência física. Na segunda metade do século XIX, a ciência foi pela primeira vez empregada para a investigação de casos forenses e suas conclusões foram validadas pelas autoridades responsáveis.

Elder Pereira
Publicado por Elder Pereira
há 2 anos

A importncia da investigao e percia criminais forenses na elucidao de crimes

As primeiras investigações realizadas em casos forenses foram baseadas em observação e interpretação de evidência física. Na segunda metade do século XIX, a ciência foi pela primeira vez empregada para a investigação de casos forenses e suas conclusões foram validadas pelas autoridades responsáveis. Com o avanço da tecnologia e do conhecimento acerca de diversas ciências, elas foram progressivamente incorporadas e adaptadas para a investigação de um crime.

São inúmeras as áreas de atuação de um perito criminal, sendo que na maioria dos casos o conhecimento acerca de cada área é generalizado e não específico, sendo que a sua especificidade só se dará mediante a realização de cursos específicos para tal área. Por exemplo, engenharia forense, por mais que possa ser estudado por um profissional da biologia, um engenheiro teria mais condições para exercê-la de forma mais eficaz e não superficial.

Ciência Forense deve ser compreendida como o conjunto de todos os conhecimentos científicos e técnicas que são utilizados para desvendar crimes. Peritos de diversas especialidades são os profissionais que realizam os testes forenses dentro de instituições policiais, associadas ao governo, ou em consultorias independentes (assistência técnica).

Um dos casos mais emblemáticos e famosos ocorridos na atualidade é o da morte da mãe do menino Bernardo, a Odilaine Uglione que, segundo as investigações na época da sua morte apontavam para suicídio conforme noticiaram o inquérito e diversas notícias publicadas e espalhadas por este país e cujo inquérito policial fora reaberto para novas investigações.

A mãe de Bernardo foi encontrada morta em 2010, dentro da clínica do marido, o médico Leandro Boldrini, na cidade de Três Passos, no Noroeste do estado. À época, a polícia concluiu que ela cometeu suicídio com um revólver. Mas a defesa da mãe dela, Jussara Uglione, contesta essa versão e acredita que ela foi assassinada e, não se conformando contratou um empresa, a para que fosse feita uma perícia detalhada numa carta supostamente deixada pela mãe do Bernardo.

O MP pediu a reabertura do inquérito à Justiça e justificou que os laudos particulares, confeccionados a pedido de Jussara Uglione, mãe da vítima, trazem novos fatos, imputando à secretária do consultório a confecção de uma carta suicida e colocando, inclusive, uma terceira pessoa dentro da sala de atendimento em que ocorreu o fato, onde, em tese, estariam apenas Leandro Boldrini e Odilaine Uglione.

Com o pedido de reabertura do inquérito, o MP encaminhou requisição de diversas diligências à polícia, em especial realização de perícia grafodocumentoscópica (quando se examina a grafia de um documento para avaliar autenticidade ou falsidade) na carta suicida, reprodução simulada dos fatos, depoimento de pessoas que estavam no consultório na data e horário do fato e que compareceram ao local depois e complementação de perícia já realizada, entre outras diligências.

De acordo com a especialista em Investigações Criminais, Rosangela Llanos, a conclusão, em análise comparativa na caligrafia da carta constante do processo judicial e demais documentos obtidos e constantes do presente, especialmente através de análise específica das grafias e suas características, ficou plenamente comprovado também que as escritas manuais da suposta carta dita como sendo de suicídio de Odilaine Uglione, após terem sido comparadas com os lançamentos caligráficos confrontados, foram produzidas pelo punho escritor de Andressa Wagner.

Segundo a Seweell Investigações e Perícias, conforme apreciação dos fatos e suas respectivas investigações periciais, é possível afirmar a existência e participação de uma terceira pessoa no acontecimento que vitimou a Sra. Odilaine Uglione, assim como também a imperiosa necessidade de um exame grafotécnico com provas cedidas pela Sra. Andressa Wagner para uma análise oficial a ser realizado pelo IGP-RS, que segundo a apreciação da presente análise criminal, as evidências apontam a secretária como autora da suposta carta suicida e conhecedora dos fatos. “O Laudo Pericial é o farol que ilumina o julgador”, no que eu concordo integralmente.

A Ciência Forense segundo http://ciencias_forenses3.blogs.sapo.pt/ é um conjunto de componentes ou áreas, nomeadamente Antropologia, Criminologia, Entomologia, Ondotologia, Patologia e Psicologia que em conjunto, atuam de modo a resolver casos de caráter legal. Há então que referir que a Ciência Forense não é uma ciência única. Esta está dependente de todas áreas que sejam necessárias em casos específicos.

A ciência forense é utilizada para a análise de vestígios principalmente em crimes violentos. Tais como espécimes biológicos como sangue, cabelo, sêmen, e outros tecidos que estão entre os tipos de evidências mais freqüentemente encontrados nas cenas do crime. Estes chegam a um laboratório criminal de várias formas, tipos e condições, fazendo com que os procedimentos analíticos normais, às vezes sejam difíceis de executar. Graças a testes e investigações forenses, pedaços de evidências agora dizem muito mais do que costumavam a dizer.

Dada a alta exatidão e natureza sensível das investigações forenses, é necessária uma extrema cautela para prevenir contaminações na hora de identificar, recolher e conservar uma evidência biológica. Os investigadores e os profissionais de laboratório usam todo o tipo de materiais para manipular as evidências a fim de evitar o contacto com os vestígios recolhidos de modo a não haver contaminação (adulteração dos vestígios) dos mesmos.

Os detalhes são um ponto importante no que diz respeito à observação e tratamento de vestígios. Isto tudo mostra que a ciência forense está realmente a mudar a nossa vida do diaadia.

Por tudo isso não há como não reconhecer a importância da ciência para a elucidação de crimes no direito penal. No caso em concreto, da mãe do menino Bernardo, a atuação da empresa de investigações Sewell Investigações e Perícias foi preponderante para esclarecimentos e elucidação daquilo que parecia ter sido um suicídio.

A importncia da investigao e percia criminais forenses na elucidao de crimes

Conforme pesquisa, a Sewell Investigações e Perícias encontra-se legalmente constituída desde o ano de 1998, como empresa de Investigações e Auxilio a Justiça, o que nos permite desenvolver trabalhos de investigação em todas as áreas como também a realização de Pericias Criminal Forense de forma Privada, em prol de interessados, vitimas ou imputados. Logo, a nosso ver, se trata de uma empresa com uma longa experiência nesses casos.

Tudo isso mostrou a todos nós e ao país que não dar mais para aceitar somente as investigações levadas a cabo pela polícia judiciária, é preciso algo mais para que processos dessa natureza cheguem a um bom termo. De uns tempos pra ca, muitos parentes tem ajudado nas investigações criminais e de certa forma municiando a polícia com provas consistentes no afã de ver os acusados pelos crimes cometidos contra sua família, pagarem pelo seu mal feito.

Família que faz investigação paralela para ajudar na elucidação de crimes já não é mais novidade no Brasil, exemplos temos muitos como foi esse caso citado no artigo e de outro conhecido do grande público. A família do estudante Victor Hugo Santos, 20 anos, encontrado morto na raia olímpica da Universidade de São Paulo (USP), na última segunda, resolveu adotar uma investigação paralela à da polícia para tentar esclarecer a morte do jovem. A estratégia adotada foi a criação de uma página no Facebook pela qual são aguardadas informações que ajudem a elucidar as circunstâncias da morte do jovem.

O advogado refutou a hipótese de que a iniciativa concorra à da polícia, mas admitiu que resultados que foram obtidos só serão levados ao DHPP posteriormente a essa apuração. “Minha equipe não vai atrapalhar a investigação policial. Depois do que for apurado, se tiver algo que ajude, vamos levar ao DHPP e ajudar a esclarecer um fato”, ponderou Gomes. É por aí...


Fonte subsidiária:

Terra - trespassos

SEWELL - INVESTIGAÇÕES E PERÍCIAS (Eduardo Llanos e Rosangela Llanos)

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Deus em primeiro lugar e depois vocês pelo belo trabalho. Não existe crime perfeito, e sim ...mal investigado....parabéns ao JusBrasil pela bela matéria e a Sewell pelo lindo e transparente trabalho. continuar lendo

Excelente artigo muito esclarecedor sobre o tema, pericias e investigações particulares são muito usadas em todo mundo, no Brasil creio que está sendo necessário para que possamos solucionar tantos casos pendentes e tantos inquéritos policiais sem solução.
Abraço continuar lendo

Obrigado pelos valiosos esclarecimentos oferecidos pelo artigo. Indiscutível a necessidade urgente do aprimoramento da Polícia Técnica especialmente no pais onde 92% dos crimes não são desvendados. Por favor me corrija se estou errado na estatística. A titulo de referencia para um leigo no assunto me reporto à literatura policial de Georges Simenon onde a polícia técnica está sempre presente complementado o método intuitivo e psicológico do investigador. Há tanto tempo Dostoievisky inventou isso! continuar lendo

Posso citar parte deste seu artigo no meu TCC??? continuar lendo